Primeiras Impressões: "Uma Ilha no Atlântico" - Day Fernandes


Olá leitores!
Nos dias 10 e 11 de agosto durante a Bienal de São Paulo no estande da Editora Hope a autora Day Fernandes estará lançando o seu novo livro Uma Ilha no Atlântico, romance que pretende conquistar e amolecer até os corações mais duros. Sendo parceira da autora, tive a oportunidade de ler o livro antes da liberação da sua venda e hoje compartilho com vocês as minhas primeiras impressões, que consistem da leitura até o capítulo 15 do livro. 

Para quem, assim como eu, é de Brasília e não poderá comparecer na Bienal de São Paulo, não perca a oportunidade de conhecer a autora e prestigiar o lançamento na Feira do Livro de Brasília, que acontecerá no Shopping Pátio Brasil dia 16 de junho entre 14 horas às 16 horas. Eu estarei lá, então quem quiser também me encontrar, basta enviar uma mensagem em alguma rede social para marcarmos. Com os avisos prévios dados, vamos conhecer a sinopse de Uma Ilha no Atlântico?
"Para a arquiteta Mariana Fragoso, uma das maiores certezas de sua vida é que morrerá solteira. Ela acredita que o amor pertence somente ao mundo da fantasia, e quando se trata de assuntos do coração, se protege com uma blindagem extraforte. Até embarcar em uma aventura inesperada. Sob a responsabilidade de chefiar a construção de um imóvel, Mariana é enviada para Maris, uma ilha do outro lado do Oceano Atlântico. Entretanto, logo após conhecer Théo Santiago, o misterioso proprietário do terreno no qual vai trabalhar, ela se vê cercada por uma esfera eletrizante, um tipo de força que sempre a leva em direção a ele. E é aí que tudo começa a dar errado! Decidida a evitar seu novo cliente – e as sensações que ele lhe provoca quando está por perto –, Mariana planeja terminar seu trabalho o mais rápido possível. Mas o destino parece ter outros planos... Ao longo de sua estadia nessa ilha paradisíaca, coisas inexplicáveis começam a acontecer. Terremotos, invasões, e um certo par de olhos azuis viram sua vida de ponta-cabeça. E em meio a sonhos assustadores, lembranças fragmentadas e um segredo que envolve seu passado, presente e futuro, Mariana precisará fazer uma escolha mais difícil do que imagina, além de tentar escapar da armadilha mais temida de todas: o amor!"

A Day é tão simpática, que chega a ser impossível falar de sua obra sem antes comentar sobre a autora. Sempre disposta e disponível para nos responder, ela transborda amor e carisma, assim como seus personagens. É tão fácil comunicar-se com ela e abrir nossos corações, que ao final da leitura tudo que você vai querer é dividir com a autora todas suas impressões e surpresas. 

Após ler um romance completo dela, percebi que a autora ainda tem muitas histórias para nos contar e espero que ela continue fazendo isso por muitos e muitos anos, pois é uma escritora que não quero mais desgrudar. Quero acompanhá-la, apoiá-la e estar sempre perto para festejar suas conquistas. Mais do que uma parceira, a Day acabou se tornando uma grande pessoa na minha vida e, com toda certeza, está entre as minhas autoras preferidas da vida.

Agora vamos conhecer um pouco mais sobre a história?
Mariana, a nossa narradora-personagem, é uma mulher independente, que traça seu próprio caminho como arquiteta e mora com a melhor amiga Bianca. Nossa protagonista não tem tempo para namoros ou dramas de relacionamentos, ela apenas vive pelo trabalho e pretende continuar assim, independente dos conselhos de sua amiga.

Mesmo chegando atrasada no emprego, por conta das horas mal dormidas causadas pelo vizinho barulhento, Mariana consegue driblar o chefe e se sair muito bem na reunião marcada, assim apresentando seus esboços para uma construção misteriosa de local ainda não revelado. Sendo uma das melhores arquitetas da Construtora Montenegro, Mariana logo conquista os clientes e consegue uma primeira impressão positiva, porém será preciso que os esboços sejam levados para o chefe da construção, para que assim seja reavaliados e a decisão seja enfim tomada.

Por estar a frente do projeto, Mariana fica encarregada de falar ao telefone com o dono da tal construção, Théo Santiago, e firmar os últimos detalhes e possíveis mudanças em seus desenhos. Entretanto algo a surpreende e a deixa sem reação, além da voz grave e hipnotizante do homem, é claro: Théo, ao final da ligação, revela que a viagem de Mariana já está marcada e espera vê-la em breve. Mas que viagem é essa?

Quando Mariana decide tirar a história a limpo com seu chefe Alberto, acaba confirmando as palavras do cliente. Ela terá que viajar, mas não uma viagem simples para outro país. Mariana terá que viajar e passar dois meses em uma ilha no Atlântico para dar continuidade e acompanhar de perto o projeto. O pior de tudo isso, além de ter que passar esse longo tempo longe da melhor amiga, é que aquela voz rouca, que lhe tirou do sério há alguns minutos, terá um contato direto com ela e a casa a qual irá construir será para a moradia de Théo e sua noiva.

Minhas impressões até o capítulo 15:
E se eu comentar que li os 15 capítulos quase inteiros em um dia e finalizei o livro em três? Só de falar isso já daria para ter uma noção básica de como foi minha experiência com o livro? Bom, se ainda não deu para perceber que eu amei a história, os personagens, o romance e a construção de Maris, explicarei mais um pouco, e resumidamente, sobre a minha experiência extremamente positiva com Uma Ilha no Atlântico.

Tentarei me ater apenas aos primeiros capítulos e dizer o que senti nesse primeiro dia de leitura, pois muito em breve a resenha do livro sairá e só então vocês poderão conferir minha experiência completa com a obra. Mas, voltando aos primeiros capítulos, é imprescindível comentar que fui "fisgada" pela história logo no primeiro

Mariana é uma personagem feminina forte e dona de si, que nos cativa logo na primeira frase de sua narração. Tendo uma opinião forte e sempre lutando pelo o que deseja, ela se mostra confiante e batalhadora, caraterísticas que a tornam uma mulher ainda mais real e inspiradora aos nossos olhos. A maneira que a autora a construiu é impressionante, pois traz uma personagem diferente de todas que já conhecemos e tão semelhante daquilo que tanto desejamos ter contato. Além de engraçada e de piadas incrivelmente ruins, mas que te tiram ótimas gargalhadas, Mariana é sincera, decidida e apaixonante. Chega a ser impossível você não se cativar por ela (e pelas outras personagens femininas).

O Théo também conseguiu me cativar. Ele não implora amor para Mariana e nem a força a ser algo que ele precisa. Théo apenas age de maneira natural e é isso que faz o amor nascer entre os dois (e entre o leitor e ele). O personagem é educado, com um ar meio vitoriano, cativante e meigo. Faz com que a gente queira acompanhá-lo e cuidar dele, pois era visível que algo o atormentava e pesava em seus ombros. 

O romance entre Théo e Mariana ocorre de maneira simples e se desenvolve naturalmente. Eu já estava há tempos procurando por um romance que não parecesse forçado ou abusivo e encontrar isso em Uma Ilha no Atlântico me deixou bastante feliz e empolgada. Talvez seja exatamente por isso que eu devorei o livro, não aguentei de ansiedade e precisei saber como seria o desenrolar dessa história. Além do romance, também há uma "pegada" de fantasia, um mistério que ronda a ilha para onde Mariana teve que ir. A ilha, que aparentemente parece ser perfeita, esconde segredos profundos e de grande tristeza para os habitantes. Segredos que descobriremos junto com Mariana e que nos farão ficar de boca aberta (e talvez, só talvez, teste a sua sanidade).

A narração em 1º pessoa foi um grande acerto da autora, pois assim somos direcionados diretamente para a mente de Mariana e vemos tudo através de seus olhos, sentindo suas reações e rindo com certos pensamentos. Isso faz com que a conexão entre leitor e personagem seja ainda maior, mais um ponto positivo para a obra. Estou recomendado-a para todos que gostam de romances bem construídos e casais que nos tiram suspiros, mas também quero deixá-lo como recomendação para os fãs de fantasia e adoradores de novos mundos. Garanto que após conhecer Maris, você irá querer viajar para a ilha mais próxima.

Ficou curioso para conhecer outras obras da autora? Confira a resenha de Visões Noturnas, conto de terror que me deixou apreensiva e fascinada ao mesmo tempo.

Aproveita para adicionar por aqui o livro à sua estante no Skoob e comprá-lo aqui no site da Fênix Editorial. Lembrando que nas próximas semanas a resenha completa de Uma Ilha no Atlântico será liberada.
Reprodução: Day Fernandes



Acompanhe a autora por aí:


Me acompanhe nas redes sociais:

CONVERSATION

4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Me abraça!!! meabraçameabraçameabraçameabraçameabraçameabraçameabraçameabraçaaaaa!!!!!!
    Lindonaaa, como agradecer tanto carinho e apoio sem me emocionar? Ainda mais tendo você assim tão pertinho de mim! Muito obrigada mesmo pelas palavras, pelo apoio, pelo incentivo. Com certeza você já faz parte de um grupo muito especial de amigos que a literatura me trouxe, muito mais do que apenas parceria, mas amizade mesmo! Obrigada por valorizar a nossa literatura e ser essa pessoa linda e cativante! Me abraçaaaa maiiis!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *te abraçando eternamente sem desgrudar*
      Obrigada você, Day! Que palavras lindas! Fiquei toda emocionada aqui, pare, hahahaha. E eu também estou te considerando muito mais do que uma parceira. Você é uma amiga incrível que quero sempre estar por perto, seja acompanhando os novos trabalhos como também apoiando as suas histórias e carreira. Espero que muitos outros leitores conheçam suas obras e se apaixonem pelos personagens, assim como aconteceu comigo. Mais do que valorizar a literatura nacional, eu fico ainda mais feliz em valorizar uma autora nacional tão querida. Todo sucesso do mundo para ti!

      Excluir
  2. Parabéns! A Day é fantástica e sua narrativa é tremenda, cativante.
    Desejo sucesso pra nós!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      A Day é realmente incrível e a escrita dela flui tão naturalmente que faz cada pedaço da leitura ser ainda mais gratificante. Tirando o fato que a própria autora é um amor de pessoa. Basta um minuto de conversa para logo se cativar por ela.

      Excluir

Sponsor