Entrevista: Autor Davyd Vinicius

Davyd Vinicius, escritor/poeta e blogueiro, começou a escrever aos 17 anos quando o destino lhe deu uma nova forma de enxergar a vida. Foi através das palavras que Davyd encontrou uma forma de manter-se em contato com o mundo e consigo mesmo, desvendando os mistérios de seu coração e descobrindo o seu verdadeiro eu.
Olá leitores!
No começo desse ano decidi dar mais espaço por aqui aos autores nacionais e independentes. Comecei com uma entrevista e resenha literária da autora brasiliense Isabella de Andrade, a qual escreve belíssimos e tocantes poemas. Hoje vim apresentar outro poeta, Davyd Vinicius, que me concedeu a chance de ler sua antologia poética e resenhá-la por aqui. Como sabem, estou adorando conhecer novas poesias e autores nesse ramo, por isso foi um prazer firmar essa parceria com o autor e ter um contato com seus textos. Seu livro, Sobre Fragmentos, terá uma resenha aqui no blog que vai ao ar ainda essa semana, na sexta-feira. Fiquem atentos e não percam a chance de conhecer um pouco mais sobre o livro! 

Enquanto isso, vamos conhecer o autor? Segue abaixo a entrevista que fiz com o Davyd:

1) Para mim e os leitores te conhecerem melhor, conte-me um pouco sobre você: hobbies, livros e autores preferidos, manias de escrita, etc. 
Eu sou uma pessoa muito ativa, estudo, canto, faço teatro, sou blogueiro e escritor, mas no meu tempo livre eu gosto muito de sair com os meus amigos, ir em um parque ou shopping, gosto de fazer algo que me desligue da minha parte profissional. Também sou um grande consumidor do Youtube, adoro os canais de humor, acho que eles cumprem bem esse papel de me "desligar". Gosto muito de Jojo Moyes, John Green, Clarice Lispector, Helena Kolody e Shakespeare. Não tenho muitas manias para escrever, só o que preciso é de um lugar tranquilo e sem interrupções. 

2) Com qual idade você começou a se interessar pela escrita e o que lhe motivou a começar a escrever suas primeiras poesias? 
Eu comecei a escrever quando tinha 17 anos, logo após passar por um período um pouco complicado na minha vida. A escrita foi o meu refúgio, onde eu pude começar a entender várias coisas que se passavam em minha cabeça. 

3) O que mais lhe inspira para escrever? 
Geralmente são as situações e acontecimentos, mas depende muito do quanto aquilo me afeta. Escrever poesia, pelo menos para mim, é algo muito visceral que às vezes acaba expondo sentimentos que nem eu sabia que estavam aqui. 

4) Quando poderemos ler um romance seu? Tem planos para isso? 
Eu adoraria escrever um romance, mas ainda não tenho planos para isso. Há uns 2 anos atrás eu até comecei a escrever um, só que até hoje não terminei. Quem sabe um dia né? Rs.

5) Como a sua família reagiu quando soube que você queria seguir a carreira de escritor(a)? Teve alguma reação negativa ou desmotivadora? 
Não, pelo contrário, eles sempre estão ao meu lado me apoiando com tudo, seja na literatura, no teatro, etc.

6) Quais conselhos você divide com os novos escritores? Tanto no meio da escrita como também sobre publicação, criatividade, etc. 
Não desista! Acho que esse é o melhor conselho que posso dar, pois por muitas vezes você irá se colocar a prova e vai querer abrir mão de tudo. Um texto que não ficou tão bom, uma editora que vai te rejeitar, um bloqueio criativo, são coisas que irão te desmotivar. Mas não há nada melhor do que passar por cima de tudo isso e ser reconhecido por aquilo que você ama fazer. 

7) E para finalizar: nos indique um livro especial para você e nos conte um pouquinho da sua história com o mesmo. 
Eu indico o livro The Dark World - Escuridão, do escritor nacional L.F. Faria. Esse foi um livro que eu recebi para resenhar no início do ano passado e que me prendeu bastante na história, tanto que eu o li super rápido. Vale super a pena.

Reprodução: Davyd Vinicius


Acompanhe o Davyd nas redes sociais:


Me acompanhe nas redes sociais:

CONVERSATION

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Sponsor