17 de outubro de 2017

Resenha: "Preacher", vol. 1 - Garth Ennis e Steve Dillon


Reprodução: Google


Preacher (volume 1)
Roteiro: Garth Ennis
Arte: Steve Dillon
Ano: 2014
Editora: Vertigo
Minha classificação:  (5/5)
Reprodução: Biblioteca Pessoal
Jesse Custer é pastor na cidadezinha Annville, porém, não é o tipo de pastor convencional que esperamos: ele sabe manejar muito bem uma arma, adora uma briga de bar e, atualmente, está possuído pela entidade Gêneses. No dia seguinte a uma discussão com alguns homens em um bar (por causa de uma troca de verdades que não deveria ter sido exposta), Custer tem a sua igreja lotada pelos cidadãos da cidade, uma oportunidade a qual não era esperada. Enquanto ministrava a sua missa, o pastor foi interrompido ao ser atingido pela entidade Gêneses e ser possuído pela mesma, criando assim através do impacto uma explosão e matando todos aqueles que se encontravam na capela, deixando ele como o único sobrevivente.

Não muito distante, Tulipa se encontra em uma "enrascada". Ao atirar em um homem (e acertar o errado), ela precisa correr o mais rápido possível e arrumar um jeito de escapar daqueles que agora estão atrás dela. Vendo um carro parado no caminho, ela decide forçar o motorista a levá-la para o mais longe dali, conhecendo assim Cassidy, um cara que mesmo após de levar um tiro na testa segue dirigindo o veículo com a certeza de que a sua noite está finalmente melhorando.

Ao saírem da mira do tiroteio e chegarem ao destino, Tulipa e Cassidy encontram Jesse desmaiado nos escombros do incêndio, tirando-o dali imediatamente, já que Tulipa o reconhece como um ex-namorado. Pensando estar em uma zona fora de risco no meio da estrada, os três tentam arrumar um tempo para sanar as dúvidas e entenderem o que está acontecendo, porém, percebem que estão sendo perseguidos por muitos policiais, pois Jesse é o principal suspeito do massacre em sua paróquia. Ao tentarem escapar descobrem que Jesse quando recebeu a entidade em seu corpo também ganhou o poder da palavra, ou seja, agora ele consegue através da fala fazer com que qualquer pessoa faça o que ele mandar, literalmente.

Enquanto isso no céu os adefins estão preocupados com a escapatória de Gêneses e para trazer a entidade de volta mandam o Santo dos Assassinos para essa missão, um homem que mata todos que entrem em seu caminho. Com a chegada do Santo dos Assassinos também há a descoberta de um segredo dos céus: Deus foi embora e ninguém sabe onde Ele está. Sabendo disso o trio, Jesse, Tulipa e Cassidy, juntos irão a procura de Deus ao longo do Texas.

Reprodução: Biblioteca Pessoal
Antes de tudo, queria dizer que não contei nem a metade dos acontecimentos que ocorrem nesse primeiro volume de encadernados, então, ainda tem muitas novidades na história que surpreenderá o leitor. A trama central pode até ser a procura por Deus e a verdade por trás do sumiço, mas, o desenvolvimento da história acaba trazendo muitas vertentes para serem exploradas, diversos assuntos para serem discutidos e vários personagens para serem apresentados. Por isso, não se enganem com o pouco que falei, a história é muito mais profunda do que isso, recheada de sangue e palavrões.

Os personagens podem parecer estranhos no começo, mas, ao decorrer da leitura é quase impossível não se apegar e criar um carinho especial por cada um. A vida pessoal dos três não é explorada mais a fundo nesse primeiro volume, deixando apenas a primeira impressão que passam para o leitor, sem dar mais informações sobre o passado e sem explicar os caminhos individuais que levaram até o encontro. Como são no total nove encadernados, há bastante "chão" pela frente, tendo assim um longo caminho para aprofundamento de personagem e exploração das várias vertentes apresentadas. É como se nesse primeiro contato nós tivéssemos apenas a apresentação da história, uma maneira de ganhar (ou não) o leitor, mostrando mais detalhes nos volumes seguintes.

Vale aqui abrir uma ressalva sobre cada um dos personagens, mas, de forma breve
- Jesse é irritante e convencido, embora consiga demonstrar características mais positivas ao decorrer da narração; 
- Tulipa é maravilhosa à sua maneira, é uma mulher forte e que sabe se defender (tanto verbalmente como também fisicamente);
- Cassidy é carismático, engraçado e estranho, mesclando essas três características de uma maneira brilhante e envolvente.

O encadernado
Como eu disse acima, ao todo são 9 encadernados, porém, alguns são bem difíceis de serem encontrados para compra. Embora a Panini tenha dito nas redes sociais que Preacher seria relançado esse ano junto com outras HQs, não me recordo as datas, algumas edições continuam não estando a venda ou continuam raras de serem encontradas (com preços absurdos). Eu só tenho os volumes 1 e 2, mas, procurando na Amazon você encontra alguns disponíveis para compra, principalmente os três primeiros. Estou apenas esperando uma promoção para adquirir o terceiro.
Tirando essa dificuldade de encontrar os exemplares e agora passando mais para a parte técnica e apreciativa, posso dizer que é capa dura, as folhas são grossinhas e brilhosas (não sendo aquelas de jornal) e o traço do desenho é muito bom, dando uma expressão agressiva para cada personagem. Além de trazer as histórias, que vão das publicações mensais de 1 à 7, também há as capas de cada edição, a qual carregam o traço de um desenhista diferente e que traz uma imagem ainda mais realista. As próprias capas dos encadernados são desenhadas por ele e são incríveis! Você já consegue sentir a atmosfera do quadrinho apenas através da capa.
Para aqueles que querem ter a HQ na estante essa coleção está valendo muito a pena, basta paciência para esperar ficarem disponíveis, tendo um custo um pouco salgado de em média R$60,00. Deixo-a como indicação também para aqueles que querem ler Preacher pela primeira vez.


Reprodução: Biblioteca Pessoal
Minha opinião
Eu conheci o quadrinho através da série que leva o mesmo nome, até já fiz um post especial falando da adaptação. Esse ano durante a segunda temporada a série entrou para a minha lista de favoritas, pois a história, os personagens e os atores conseguiram me "fisgar" de uma vez e me deixar alucinada com os acontecimentos das duas temporadas. E agora estou esperando ansiosamente para a estréia da terceira no ano que vem.
Por conta da curiosidade sobre a versão original e também por causa dos comentários mega positivos que o meu namorado descarrega sobre o quadrinho, eu decidi me arriscar e começar a montar a minha coleção para então começar a lê-la. Os meus planos não saíram como planejados, pois até o momento só consegui adquirir dois volumes, mas a ansiedade bateu tão forte que eu precisei ler o primeiro no começo de setembro e já posso dizer que, mesmo eu não tendo lido tantos quadrinhos assim, é uma das melhores HQ's que já li. Estou me segurando para ler o volume dois apenas quando adquirir o três, mas, acredito que de outubro a minha leitura não passará e eu não conseguirei me segurar, terei que voltar para o meu trio predileto do momento. A história tem os elementos que mais gosto no gênero: humor (muitas vezes negro), violência e sangue explícitos, personagens marcantes (e diferentes à sua maneira) e momentos "bizarros" (aqueles de cair o queixo e não acreditar na loucura que está acontecendo). E acredito que foi a mistura desses que me agradou tanto. 
Por mais que eu já soubesse um pouco da história, por conta da série, ainda me surpreendi com a leitura do quadrinho, até porque muitas coisas são diferentes e a série acaba "pegando" apenas a essência principal do original, criando referências e colocando alguns pequenos detalhes para a alegria dos fãs. Porém, no final, os dois acabam indo para caminhos diferentes e sendo ótimas formas de se complementarem na história.
A minha experiência de leitura foi bastante positiva, tanto que tentei ler o mais lento possível para não chegar logo ao fim do primeiro volume, queria aproveitá-lo ao máximo. Tive ainda um reaproximamento maior com os personagens e uma vontade de conhecê-los ainda mais a fundo, saber os seus segredos, sobre o passado e o que está motivando-os no presente. A estranheza e diferença de cada um me deixou ainda mais conectada a eles, fazendo com que eu desfrutasse cada minuto da companhia desse trio e ainda querendo mais. Não tenho dúvidas de que o quadrinho por completo se tornará preferido entre as histórias que mais gosto, já estou até reservando o lugar para isso.
Se você não ficou curioso com todas essas informações e "pistas" que dei sobre a história, provavelmente ela não fará o seu estilo. Caso contrário, eu tenha despertado a sua curiosidade e vontade em conferir a HQ, arrisque-se e entre com a cabeça aberta dentro dessa história. Garanto que ela fará a sua mente explodir e enlouquecer.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright 2017 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
por Lory Design