1 de setembro de 2017

Resenha: "Por Trás das Grades" - Cynthia Lopes

Reprodução: Google


Por Trás das Grades
Autora: Cynthia Lopes
Publicação independente 
Ano: 2016
Minha classificação: ★★ (2/5)
* E-book cedido pela autora
Nicolas é matador profissional, um dos melhores no seu ramo de profissão, ficando apenas no mesmo nível que Wesley, seu grande rival. Um homem temido por todos, Nicolas tem como um de seus objetivos proteger a sua família, a esposa Bianca e o filho Guilherme, e fornecer para ambos a melhor vida que podem ter, tanto emocionalmente como também no sentido material.

Wesley procura por vingança e o seu alvo é Nicolas. Quando pequeno um acontecimento trágico rodeou sua família, sendo resultado de um ato terrível feito por Nicolas. Assim, um ódio irreparável cresceu com Wesley durante toda a sua vida, fazendo com que sua mente e o seu coração clamem por vingança e sangue.

Essa história irá explorar a infância de Nicolas e mostrará ao leitor o que fez tê-lo tamanho ódio e vontade de matar, inclusive como tudo isso começou. Do outro lado também haverá a infância e como surgiu a vontade de vingança de Wesley. Tendo três linhas de narração, cada uma em 1º pessoa, acompanharemos o lado pessoal e as emoções íntimas separadamente de Nicolas, Wesley e Bianca, tendo assim a versão da história na perspectiva de cada um. E é importante lembrar que Por Trás das Grades é um livro hot que contém cenas de sexo, não tão explícitas, mas descritivas.

Minha opinião
É com muito pesar que anuncio que, provavelmente, essa resenha será a mais negativa, até o momento, fiz aqui no blog. O que mais me incomoda enquanto eu escrevo essa resenha é lembrar que irei destrinchar e explorar negativamente alguns pontos do livro, fico triste porque já tenho um contato com a autora e sei o quanto essa obra está sendo gratificante para ela, mas, não posso forjar uma opinião/reação. Espero que a mesma não se zangue e nem se sinta ofendida pelas minhas observações. 
Primeiramente, vamos aos pontos positivos na minha visão. A história tem uma proposta boa e vertentes que, melhores explorados, formariam um ótimo livro de ação e, talvez, romance. A escrita da Cynthia é boa e fluida, faz com que você leia rápido e sem perceber o tempo passar, e acredito que por ser capítulos pequenos a leitura acaba fluindo naturalmente. Quando menos se espera você já está na metade do livro sem ao menos se dar conta. Porém, às vezes a autora utiliza termos repetitivos, fazendo com que a mesma informação seja passada várias vezes seguidas, algo que chega a ser desnecessário.
Quanto aos pontos negativos irei começar falando da problematização dos personagens masculinos Nicolas e Wesley. Ambos são machistas, possessivos e tratam a Bianca de maneira inferior e feita apenas para o sexo. Alguns podem dizer que o Nicolas, por ser marido de Bianca, a ama e a trata assim porque é o jeito dele. Porém, esse "jeito", na minha visão, é problemático e a desculpa de que ele sofreu durante a infância e de que é um matador profissional (e por assim dizer, frio) não colam. Aliás, isso só passa de desculpas para explicar o tal comportamento agressivo e abusivo. E, repetindo, na minha opinião, Bianca se encontra em um relacionamento abusivo com Nicolas e isso é comprovado em vários trechos da história, seja quando o homem impõe a esposa de fazer sexo apenas porque ele necessita (e tem uma cena em particular que EU considerei estupro) ou quando ele diz que a mulher é sua propriedade. Entendem a problematização que estou tentando esclarecer?
Essa necessidade, tanto do Nicolas como também do Wesley, de ter a Bianca como propriedade me incomodou durante toda a história. A cada diálogo em que um desses homens dizia que a Bianca era dele e de mais ninguém eu me sentia mal pela própria personagem. Dizer que a pessoa é só sua não é romântico, é possessivo e até mesmo psicótico. Dizer que a mulher não pode ser abraçada pelo próprio irmão porque ninguém pode tocar nela é doentio. E eu não quero ser chata ou taxada como a problemática, mas essas questões devem ser repensadas e analisadas antes de serem vendidas como um ato de amor. Chega a ser problemático até mesmo para os jovens e a nova geração que, justamente, deveriam crescer com o pensamento longe disso.
Também acredito que o tipo de narração escolhido para essa história não foi a melhor opção. Muitas vezes a impressão que a narração passou foi de que os personagens estavam escrevendo um diário, principalmente por causa das palavras usadas para se expressarem e/ou descrever. Talvez se a autora tivesse optado por uma narração em 3º pessoal, mais impessoal, a história fluiria de forma mais natural para mim.
Por mais que eu não tenha tido uma experiência muito agradável de leitura, deixo-a como recomendação para aqueles que gostam de literatura hot e que não se incomodam com os pontos citados por mim. Porém se, assim como eu, você se incomoda com personagens machistas que se sentem o centro do mundo e ainda querem justificar os seus atos possessivos dizendo que é amor, não aconselho que se arrisque na leitura, poderá te trazer apenas dores de cabeça e, infelizmente, irritação. No demais é importante darmos oportunidade a escritores nacionais iniciantes e nos atentemos a criticar construtivamente cada história. E repito: essa é a minha opinião baseada na minha vivência e nos meus pensamentos e ideais, se você sentir vontade de ler o livro apenas leia. Afinal, o seu pensamento poderá ser diferente do meu. O livro apenas não funcionou comigo.

6 comentários:

  1. Sabe Thainá, acho que você não precisa ter medo de expor sua opinião na resenha. Esse tipo de comportamento que você retratou que a obra apresenta de fato é péssimo e violento e jamais deveria ser tratado como amor, principalmente porque, se acontecesse na vida real, seria crime previsto em lei e amparado na lei Maria da Penha. E isso não é uma opinião ou um ideal seu, é um fato.
    Apresentar isso como amor é basicamente querer naturalizar o relacionamento abusivo. Mas aí tem o contraponto que, por ser em primeira pessoa, isso pode ser amor no pensamento doentio dos personagens, não significa que é o posicionamento da autora ou qualquer coisa do gênero.
    De qualquer maneira, não é o gênero literário que costuma me agradar, apesar de eu adorar me aventurar pelos leitores nacionais.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu não sei dizer qual foi o posicionamento da autora com esse tipo de narração, se ela quis ou não expor o relacionamento abusivo ou se esse é o pensamento dela. O que pude extrair nas poucas conversas que tive com a autora foi que, para ela, entre Nicolas e Bianca existe apenas amor. Até por isso disse na resenha que não sabia se eu havia visto algo problemático por causa dos meus ideais ou se estava vendo coisas demais.
      Mas, é vida que segue, né? Volte sempre!

      Excluir
  2. Oi, Thai!
    Gostei muito da honestidade da sua resenha. Já tive a experiência de ler livros de autores nacionais, não ter gostado e acabei optando por ocultar minha opinião, por assim dizer. Li os livros e acabei não falando deles em lugar nenhum pois não queria parecer rude ou desencorajá-los. No entanto, me arrependo muito de tal atitude; por isso gostei tanto do teu texto.
    Também vejo como uma situação extremamente problemática essa do livro. Estamos vivendo um momento tão importante de desconstrução desse tipo de relação e acho muito tenso ver um relacionamento assim como normal, mais grave ainda chamar isso de amor.
    Parabéns pela resenha! Beijão ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana! ♥
      É ótimo saber que vocês apreciam a minha opinião, independente se for positiva ou não. Acredito que não devemos "esconder" a nossa opinião, pois os nossos leitores (e aqueles que te assistem em seu canal) merecem saber a verdade, afinal, se te acompanham é porque apreciam a sua posição. Também acredito que nossa opinião serve como uma crítica construtiva para os autores nacionais, que com toda a certeza saberão dos pontos ressaltados por nós leitores, e assim podem melhorar ainda mais suas histórias. Pelo menos gostaria que vissem dessa forma.
      Essa colocação de "amor" não é extremamente problemática e inadequada? Logo nos tempos de hoje, que ainda é tão difícil desconstruir isso, mas que seguimos sempre tentando para que esse pensamento não prevaleça. Infelizmente esse tipo de abordagem só faz com que alguns leitores se chateiem e se afastem de tais autores, o que acaba sendo muito triste e negativo para o mercado literário nacional.
      Obrigada mais uma vez pela sua visita!

      Excluir
  3. Lendo a resenha e agora os comentários. Gostaria de pedir as meninas, que me dêem a chance de ler a história. É muito complicado a escrita em si, pois ela pode ser interpretada de várias maneiras. Como disse a Thaína, eu jamais quis mostrar ali, um relacionamento abusivo. Ambos tem sim, seus problemas pessoais e por muitas vezes, comentem seus erros sim. Cada um sabe dentro de sio que sente na hora da leitura e interpreta do seu jeito. Fico triste por ter passado para a Thayna essa impressão, de todas as pessoas que leram, ela foi a única que se sentiu assim. Enfim, espero de coração, que ainda não leu, que de a chance para esse trio e que consiga sentir o sentimento da forma que eu quis passar. E sempre respeitando a opinião dos outros, com toda certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você alcance novos leitores e que sua história chegue a mais pessoas, e espero também que elas não vejam e não se sintam como eu durante a leitura. Às vezes alguns termos podem passar uma ambiguidade e talvez seja por isso que eu tive uma visão diferente das demais leitoras, mas, em nenhum momento quis desrespeitar a sua obra e espero que você não tenha se sentido ofendida com a minha opinião.

      Excluir

 
Copyright 2017 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
por Lory Design