29 de setembro de 2017

Resenha: "O Adulto" - Gillian Flynn

Reprodução: Google


O Adulto
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Minha classificação:  (3/5)
A narradora-personagem, que não é nomeada, é funcionária há 3 anos em um local chamado Mãos Espirituais, sendo uma das garotas mais requisitadas e conhecidas por lá. Como o nome do seu local de trabalho bem sugere, lá a personagem principal, apelidada como Nerd por sua chefe Viveca, trabalha sendo um meio de prazer para os homens, porém, usando apenas as mãos, nada além disso.

Depois de começar a sentir dor no pulso por causa dos movimentos constantes e repetitivos com a mão, Nerd é promovida para trabalhar na parte da frente da loja, onde Viveca exerce a função de "leitora de mão". Ou seja, ela agora também irá prever o futuro de mulheres ricas e que nada sabem do trabalho que ocorre na parte de trás daquele estabelecimento.

É exercendo o papel de vidente que a narradora atende e conhece pela primeira vez a Susan Burke, uma mulher que precisa urgentemente de sua ajuda para combater um espírito que está rondando a sua casa e fazendo mal a sua família.

É importante alertar que estamos falando sobre um conto e não um romance (ou um livro, por assim dizer), por isso não se assuste com as 40 e tantas páginas e nem espere uma história recheada de descrições e explicações. A história é curta, objetiva e sem rodeios. As informações são nos dadas rapidamente, mesmo que o suspense predomine o ar da história durante uma grande parte.

Minha opinião 
Para facilitar a minha expressão (e até mesmo indignação) com a leitura, dividirei minha opinião em duas partes: essa primeira será totalmente livre de spoilers; mas, a segunda conterá alguns spoilers e informações cruciais para o desenvolver da história. Podem ficar tranquilos, pois quando a segunda parte chegar eu avisarei. 
Infelizmente, querendo ou não, Gillian Flynn é aquele tipo de autor que eu já espero histórias magníficas e que me deixarão de queixo caído, então, qualquer experiência ao contrário disso (ou uma leitura menos de 5 estrelas na minha visão e opinião) é uma decepção para mim. Dizendo isso, posso afirmar que O Adulto acabou por se tornar uma decepção, e não digo isso com alegria, pois queria muito ter gostado dessa história que ouvi tantas pessoas falarem bem.
Algo que me chamou a atenção na metade do conto para o fim foi o teor sobrenatural que a história assumiu, porém, o rumo que a mesma tomou me deixou aquela dúvida na cabeça: por quê? Na minha opinião, a autora tinha tudo em suas mãos para criar uma história sobrenatural e terrivelmente assustadora: eventos "não explicáveis", personagens não confiáveis e histórias de fantasmas. Então, por que seguir um caminho que não faz sentido e por que não dar um final digno a personagem principal?
Sei que muitos não irão concordar com o que eu digo e com a minha visão da história, mas, para mim ficou a impressão de que a autora quis dizer muito em poucas páginas, e isso resultou em uma bagunça sem explicação e sem sentido. E sei também que alguns podem estar perguntando porque classifiquei com 3 estrelas (que para mim seria o equivalente de um "gostei"), se eu me decepcionei tanto. Pois bem, a escrita da Gillian Flynn é envolvente e gostosa de se ler, então, mesmo eu não gostando de certos momentos ao mesmo tempo eu meio que não conseguia largar a história e apenas abandoná-la, precisava chegar até o final e saber o desenrolar da Nerd. Fiquei presa à narração e me senti tão aflita quanto a narradora-personagem, me senti na pele dela nos momentos de terror e senti até mesmo o medo que emanava da personagem. Então, querendo ou não, uma história escrita pela Gillian Flynn irá me despertar a curiosidade e pelo menos algum aspecto eu irei gostar. Nesse caso em específico a autora acabou por desconstruir o que eu mais gostei dentro do conto, mas, dessa vez eu deixo passar.
Agora falando de um modo geral e sem focar nas partes negativas, eu gostei de conhecer mais essa história da autora. Independente do que gostei ou não, eu recomendo a leitura para aqueles que já gostam da autora e para aqueles que gostam de histórias de suspense. A escrita da Gillian é ótima e flui muito rápido, e por ser um conto a leitura acaba tomando pouco tempo do seu dia, sendo possível ser feita em apenas uma "sentada" (assim como fiz).
O linguajar aberto e pesado já é marca da autora, pois lembro de ter me deparado pela primeira vez ao ler Garota Exemplar e ter assemelhado esse detalhe com a escrita do Stephen King. É um conto que cada um deve tirar suas próprias conclusões e apreciar da melhor maneira possível a leitura.

Agora falando do que não gostei COM SPOILERS
O que me incomodou na história foi a reviravolta. Quando eu percebi que o clima estava indo em direção ao sobrenatural, eu meio que tive uma reação mais do que positiva, aliás, seria Gillian Flynn escrevendo um conto sobre uma casa mal assombrada e espíritos vingativos. Seria simplesmente incrível ver essa autora no meio literário do terror. Então, quando o garoto, que supostamente deveria estar possuído por um espírito, inventou mentiras e fugiu com a Nerd da casa, ficando claro que era tudo uma armação do próprio para ficar livre da família, minha cabeça explodiu de raiva e indignação. Como assim uma história que estava indo tão bem, teve uma reviravolta sem sentido e confusa? E ainda por cima um final que fica em aberto qual seria a verdadeira intenção desse garoto com a protagonista.
Outro ponto é: por que a narradora-personagem aceitou as manipulações de um garoto com a metade da idade dela (ou até menos, não lembro ao certo)? Tudo bem que se ela fosse contra poderia acontecer algo com ela, como por exemplo ser presa, mas, acredito que se a presença do garoto fazia ela se sentir tão mal, insegura e com medo, por que ter uma convivência com ele? Para mim, não faz sentido.
Acho que já está bom de revolta, não é? Passei o que queria e expus minha opinião também como queria, então, deixo o conto como recomendação para vocês tirarem as suas próprias conclusões, afinal, as coisas que não gostei podem se tornar ótimas na sua experiência de leitura.

Nenhum comentário

Postar um comentário