8 de março de 2017

Personalidades/Personagens femininas que me moldaram


Reprodução: Google
Olá leitores!
Hoje é dia 8 de março, dia internacional da mulher, e para não deixar passar em branco decidi lançar um post especial e um pouco mais pessoal, até para vocês conhecerem mais a pessoa por trás das resenhas e indicações. E para isso vou apresentar 4 personalidades/personagens que moldaram o que eu sou hoje e explicar a importância que cada uma teve na minha vida.

Em filmes e desenhos que assistia quando era menor sempre era difícil encontrar alguém que eu me identificasse ou que gostaria de ser. Por mais que eu tivesse muitos desenhos preferidos, na maioria das vezes as protagonistas tinham uma personalidade totalmente diferente da minha, o que não diminuía minha vontade de assisti-los, mas não fazia eu me sentir representada no que eu gostava. Até que cheguei em uma certa idade e vieram as animações de super-heróis e as novelas mexicanas, e finalmente encontrei alguém que era igual a mim.


Reprodução: Google
VAMPIRA, DE X-MEN EVOLUTION

Quem por aqui não assistia X-Men Evolution na hora do almoço, antes ou depois da escola? Eu era da parte que estudava de manhã e logo que chegava corria para frente da televisão para assistir, e claro, conferir a minha personagem preferida: a Vampira.
Foi a primeira personagem que me identifiquei, tanto por causa da personalidade como também a maneira que ela se vestia (que eu adorava e gostaria de me vestir igual!). Lembro até mesmo de ter feito as mesmas mexas no meu cabelo, sendo a primeira vez que pintei. A maneira como a Vampira agia, com uma liberdade para falar e fazer o que quisesse e ainda para ser ela mesma me inspirava. Quando saiu os primeiros filmes desse universo, a minha personagem favorita das longas continuou sendo ela. É uma personagem que até hoje ainda me identifico e tenho um carinho muito grande. Ainda tenho aquela vontade da adolescência de ter os mesmos poderes que ela e de me tornar uma X-Men.

Reprodução: Google
VIOLETA, DE OS INCRÍVEIS


Outra super-herói que assim que conheci logo me identifiquei. A Violeta, assim como a Vampira, foi um dos motivos para meu amor por super-heróis começar. E igual a minha X-Men favorita, ela também despertava uma identificação grande em mim através da sua personalidade e no seu estilo.
Violeta, no começo do filme, era uma garota tímida que usava o cabelo na frente do rosto justamente para esconder-se dos demais, algo que eu também fazia na época. A força da personagem e a transformação pessoal que ela sofre ao final do longa não me fez pensar em muitas coisas na época, porém, hoje percebo o quanto ela me ajudou a crescer e enfrentar os meus medos, principalmente da timidez e de se fechar para o mundo.
Essa semana, depois de anos, revi ao filme e me vi na personagem. Mesmo depois de anos após o lançamento esta animação ainda tem um grande poder sobre mim.

Reprodução: Google
ROBERTA, DE REBELDE


Fiz parte da geração Rebelde e das meninas que queriam ser a Roberta na roda de amigas. Nem preciso comentar que as atitudes e o jeito da Roberta eram exatamente os meus, certo? E que, apesar de toda a sua rebeldia, ela serviu como uma forte inspiração na minha adolescência.
Hoje em dia ainda acompanho a carreira de todos os integrantes do RBD (não tão de perto como gostaria) e quando bate a saudade corro para ouvir as músicas, então não posso negar o impacto que a novela teve na minha adolescência e até mesmo na vida adulta. Foi uma personagem que me inspirou a ser o que eu era sem medo do que os outros iriam pensar ou se gostariam ou não. Através do seu jeito de ser aprendi mais sobre mim mesma e a ser quem eu quisesse. Não sei se eu teria a mesma visão caso eu assistisse a novela novamente, mas garanto que tudo que absorvi na época ficará comigo para sempre. Sigo querendo ser a Roberta na roda de amigas.

Reprodução: Google
MILEY CYRUS

Como muitos fãs da cantora, conheci a Miley Cyrus através de seu papel de Hannah Montana a partir de 2006. Por mais que eu gostasse das músicas e do papel engraçado como Hannah, nunca fui muito fã da série e até hoje não terminei todas as temporadas, porém, sempre acompanhei de perto a vida pessoal e a carreira dessa mulher.
Acompanhando ela há quase 10 anos, percebo que crescemos e evoluímos juntas. Passamos por transformações, mudanças e melhorias em nossas vidas, e foi através dela que tive segurança e aprendi sobre liberdade. Suas músicas me ajudaram em vários momentos da minha vida, e até mesmo hoje ainda ajudam. Acredito que esta artista é uma das pouquíssimas, isso se não for a única, que não deixei de acompanhar ao decorrer dos anos, e creio também que não deixarei por muitos outros.
Apesar do que dizem (e do que ainda irão dizer), Miley Cyrus serviu de inspiração para mim na minha adolescência, e só tenho a agradecê-la.
Quais foram/são as mulheres que lhe inspiram? Elas te ajudaram em algum momento difícil da sua vida? Me conta aí! Espero que tenham gostado desse post especial e lembrem-se que ele faz parte da #MaratonaDiadaMulher. Um beijo e até a próxima.

2 comentários

  1. Como me identifico contigo agora haha
    Vampira e Roberta foram os ícones da minha infância/pré adolescencia e é engraçado, porque eu sempre fui o contrário do que elas eram, e eu as adorava por serem o que eu queria ser. Hoje em dia, minha personalidade se aproxima mais das duas porque me conheço mais, me amo e me aceito com facilidade sem medo, mas na época, as amava por simplesmente perceber que elas faziam e diziam o que queriam e sentiam. Era incrivel!

    É por isso que hoje, como educadora, tomo o máximo de cuidado possivel com as referencias e a forma que ajo com meus alunos e familiares, o que somos, e os personagens que apresentamos os moldam para a vida inteira.


    Adorei o post, me fez refletir sobre várias questões!

    Abraços de luz
    www.blogdella.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que agora você seja o que quer ser. Eu também não era tão "rebelde" como a Roberta e mesmo adorando o estilo gótico da Vampira nunca me vesti daquela maneira, mas, sempre tive o sonho de ser igual ambas e acho que, como você, estou vivendo o que sempre quis ser. Isso é tão emocionante e satisfatório ao mesmo tempo, não é? Crescer e se descobrir.
      Adorei o seu ponto sobre ser educadora, não havia pensado nessa maneira. Estou terminando um curso de licenciatura e provavelmente terei que seguir o caminho da educação, que bom que você me deu esse toque. Afinal, não podemos apenas preencher a mente de nossos alunos com aquilo que é melhor para nós, não é?
      Ótimos pontos! Obrigada por esse comentário. ♥

      Excluir