17 de fevereiro de 2017

Resenha: "Notívago" - Maurício Coelho


Reprodução: Maurício Coelho


Notívago - Contos de Mistérios Sobrenaturais
Autor: Maurício Coelho
Editora: Porto de Lenha
Ano: 2017
Minha classificação: ★★★★ (4/5)
** E-book cedido pelo autor
"Notívago é como chamamos criaturas de hábitos noturnos, como morcegos ou corujas, animais muitas vezes associados ao mal (...)."
A antologia Notívago, do autor brasileiro Maurício Coelho, é composta por 23 ótimos contos. Histórias que mesclam suspense e criaturas sobrenaturais, recheadas de citações à autores clássicos como Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft e Lewis Carroll, e ainda referências à outras obras da literatura e do folclore brasileiro, tudo isso ganhou meu coração. Os contos intercalam entre narrações de 1º e 3º pessoa e dão foco à lugares do Brasil, deixando as histórias ainda mais com um "gostinho brasileiro". Outro ponto interessante de se observar é a menção ao Inferno, de Dante, em alguns contos, algo que faz total sentido aos elementos dessas determinadas histórias e que ajudam a complementar ainda mais o clima de obscuridade.

Por ser um livro com uma quantidade grande de contos, não irei me estender em cada um deles para esta resenha não ficar cansativa ou até mesmo entregar todo o ouro do pote. Irei focar naqueles contos que mais me chamaram a atenção e dividir minha experiência no geral. Afinal, estou aqui para aguçar a curiosidade de vocês e tentar convencê-los à se aventurarem na leitura. Então, vamos aos meus contos preferidos dessa antologia: Mancha, Chupa-cabra, Escravos, Ao Anoitecer e Rei Tântalo.

Mancha
O que você faria se existisse alguém idêntico à você que quisesse "roubar" o seu lugar na sua própria vida?
Neste conto teremos a história do borracheiro Miguel Bonfim, um homem que, depois de um dia cheio de trabalho, costuma correr antes de voltar para casa à noite, onde mora com a sua avó. Em uma noite, depois de sua corrida habitual, ao chegar em casa Miguel é indagado pela avó em como estaria com o cabelo molhado, já que há alguns minutos atrás ele estava de cabelo seco e dentro da casa. Mesmo sendo uma reação estranha, Miguel não leva muito à sério e acaba por esquecer o comentário mudando de assunto. Porém, na noite seguinte o comentário que o perturba vem da boca de sua vizinha, que diz ter visto naquele mesmo instante alguém semelhante à ele dentro da casa e conversando com a velha senhora, embora ele estivesse chegando da caminhada.
Há um clima pesado de suspense durante toda a história e isso faz com que você queira saber imediatamente o que está acontecendo dentro da casa, quem é o ser misterioso se passando por Miguel e se isso é realmente real ou apenas invenção daquelas pessoas. As palavras finais do conto me impressionaram bastante e deixaram aquele clima de choque e surpresa (por mais que fosse um pouco esperado). 

Chupa-cabra
Em uma cidadezinha está ocorrendo desaparecimento de animais na redondeza. Por causa de uma velha lenda que ronda o local, os acidentes estão sendo julgados como obra do Chupa-cabra, uma criatura monstruosa e sobrenatural que espalha matança por onde passa. Olson e Lovska estão investigando este caso, e para isso decidem espalhar algumas câmeras por ali para tentar capturar uma imagem da criatura. Embora eles esperassem ver um monstro amedrontador através das lentes das câmeras, eles captam algo ainda mais assustador.
Abusando do suspense, essa história irá explorar a lenda urbana da Chupa-cabra de uma maneira assustadora e única, te impressionando do começo ao fim. Além dessa característica, também há uma grande influência da mitologia grega, que torna o texto ainda mais interessante e atraente.

Escravos
Durante a época da escravidão, um grupo de negros escravos trabalhavam por horas à fio a procura de pedras preciosas no rio. Essas pessoas eram maltratadas por seus patrões, humilhadas e desprezadas. Só eram úteis quando encontravam algo valioso nas buscas, pois quando acontecia o contrário eles eram descartados e mortos à sangue frio, sem nenhum remorso ou emoção. Abasiekeme Okechukwu, um dos africanos, estava cansado de ser maltratado e de presenciar as agressões que seus companheiros sofriam. Pensando nisso ele decide invocar Ósòòsi Ajagùnnà para ter a vingança que o seu grupo merece.
Com foco na vingança, o conto narrará a tensão entre os escravos e os portugueses. Como adoro histórias de vingança esta me chamou bastante atenção, e novamente fui surpreendida. Por mais que pareça mais do mesmo, já que histórias de vingança são comuns no terror, essa é bem elaborada e muito bem escrita, tendo um ar sobrenatural rondando por todo o conto.

Ao Anoitecer
Há três anos o narrador-personagem viajou para Soure para aproveitar as férias. Nessa viagem hospedou-se em uma casa distante da cidade atrás de descanso, porém, foi informado pelo vizinho, sr. Reinaldo, que ali ele não encontraria sossego nenhum, pois era um local de constantes terremotos. O narrador, não acreditando no homem, foi levado pelo vizinho para uma caminhada na floresta. Durante a caminhada, iluminados apenas com a ajuda da lua e de duas luzes desconhecidas, o sr. Reinaldo conta ao visitante a terrível história do tremor.
Esse conto, mesmo que nas entrelinhas, explorará uma personalidade do folclore brasileiro, e é incrível ver esse tema em um enredo de mistério. Eu, ainda em dúvida se havia conseguido captar a referência da lenda e para ter certeza de que não havia criado teorias absurdas para a história, entrei em contato com o autor e soube que minha imaginação foi no caminho certo. Acredito que essa sacada de misturar mistério com lendas do nosso folclore só agregue ainda mais na narrativa do conto e na criatividade da história. Afinal, quem nunca teve aquele medinho de alguma dessas criaturas que nos contavam histórias quando éramos pequenos?

Rei Tântalo
O narrador-personagem depois de terminar os estudos, decide tirar férias na casa da sua família. Ele perdeu os pais quando ainda era pequeno e a única lembrança que sobrou da sua família é esta casa de herança, onde há uma enorme biblioteca contendo milhares de livros diversos e de seu interesse. A biblioteca é um dos motivos para ele aproveitar as férias naquele lugar, pois passa os dias na sala conhecendo leituras novas e se aprofundando em cada uma delas. Em um desses dias ele se depara com a aparição de um velho desconhecido, um espírito, e ficando curioso para saber mais sobre aquele homem ele indaga ao mordomo e ouve a história do falecido.
Mesmo sendo o último e mais longo conto do livro, não chega a ser cansativo ou menos interessante do que os anteriores. O clímax não é entregado no começo da história, deixando o leitor apreensivo e curioso para saber o real motivo da aparição do fantasma. E a história também não é sobre fantasmas ou assombrações, o real motivo você só descobre nas últimas linhas e é neste ponto que você se sente enganado e surpreso pelo escritor. Uma ótima maneira de finalizar uma antologia e deixar os leitores curiosos para mais histórias e um futuro novo livro.


Reprodução: Biblioteca Pessoal
Minha opinião
A escrita do Maurício flui muito bem e torna a leitura bastante agradável. Em sua escrita percebe-se a influência de grandes autores do gênero terror, dando assim um ar de familiaridade. Os contos são curtos e rápidos de serem lidos, terminei o livro em dois dias e consegui absorver totalmente todas as histórias, gostando mais de algumas do que de outras, o que é normal em uma antologia.
Como disse antes, algo que mais me surpreendeu e me agradou foi a conexão dos contos com o folclore brasileiro, algo que nunca tinha visto antes. Acho de suma importância autores nacionais que dedicam-se em escrever histórias que se passam em território brasileiro e com elementos característicos daqui. Embora eu não tenha nada contra os que fazem o contrário, penso que, assim como os leitores devem valorizar a literatura nacional, os escritores devem priorizar a região e a cultura de onde vivem. E pela primeira vez tive contato com um texto que mesclasse isso, o que me deixou imensamente feliz.
Por mais que em alguns momentos o autor utilize de palavras consideradas difíceis, isto não atrapalha na experiência de leitura, apenas agrega. Só tenho a agradecer ao autor pela oportunidade de parceria e a confiança para resenhar sua obra. Tive uma ótima experiência de leitura, gostei muito dos contos selecionados para essa antologia e espero em breve conferir outros trabalhos do Maurício. Espero que a sua escrita evolua cada vez mais e ganhe um espaço maior no meio literário, afinal, sua obra merece ter um reconhecimento maior.
Uma obra feita especialmente para os fãs de mistério, sobrenatural e Edgar Allan Poe. Se você gosta desses três temas, esta antologia é mais do que indicada para ti. Além da descoberta de um novo autor nacional, ainda de quebra você irá conhecer contos que irão mudar a sua visão sobre o terror nacional.
"Há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia."

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright 2017 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido com
por Lory Design