A Colina Escarlate


Edith Cushing é uma escritora, e em suas histórias retrata os fantasmas sendo uma espécie de metáfora. Quando pequena, depois de perder sua mãe, presenciou seu fantasma que veio especialmente para dar-lhe um recado: não se aproximar de Crimson Peak
Thomas e Lucille, os herdeiros da família Sharpe, vão aos Estados Unidos a procura de investidores para financiarem sua invenção, uma máquina que seria capaz de extrair uma gosma vermelha que tinham debaixo de sua mansão. Os irmãos acabam não tendo êxito com o financiamento, porém, Thomas e Edith se apaixonam, e o irmão volta para sua mansão com uma bela mulher como sua esposa.
Embora tudo pareça perfeito e o futuro promissor, acontecimentos estranhos começam a cercar Edith dentro da mansão. Acontecimentos sobrenaturais. Tudo que Edith precisa é sair daquela mansão e ficar longe daquelas visões, mas e se isso não for mais possível?

A Colina Escarlate é um romance gótico com uma maravilhosa fotografia e cenários de tirarem seu fôlego. Além das roupas lindas de época que são usadas pelos personagens. É tudo deslumbrante! Você fica maravilhado e impressionado com cada detalhe. A mansão da família Sharpe foi construída especialmente para a gravação do filme, então, já dá pra imaginar o cuidado com que foi feito e como deve ter sido difícil dar todos aqueles toques e detalhes. Você terá muita vontade de conhecê-lo pessoalmente depois de assistir este filme, pode apostar.
O elenco está cheio de rostos conhecidos, e que eu particularmente adoro. Os irmãos Sharpe são interpretados por Tom Hiddleston (o inesquecível Loki, de Thor) e pela Jessica Chastain (que podemos vê-la em Mama). A protagonista é interpretada pela Mia Wasikowska, que esteve em Alice no País das Maravilhas, Inquietos e Minhas Mães e Meu Pai. Também podemos desfrutar das atuações de Charlie Hunnam (o nosso adorável Jax em Sons Of Anarchy) e de Jim Beaver (nosso eterno Bobby Singer em Supernatural).
Vale a pena conferir! Mais um trabalho incrível e digno de elogios de Guillermo del Toro. Uma ótima escolha para o Mês do Horror.

Fantasmas são reais. Eu os vi durante toda a minha vida. - (Edith Cushing)

CONVERSATION

4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Parabéns pela resenha, me deixou querendo mais hahahaha! Seu blog é um amor chuchu! Beijinhos

    booksemimos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal assisti, já quero ver de novo, hahaha.
      Obrigada! :)

      Excluir
  2. Amei que del Toro se mostra mais interessado em criar uma atmosfera de terror do que em dar sustos no espectador, um propósito que a própria personagem de Wasikowska explica ao dizer que não escreve. Falar do Charlie Hunnam significa falar de uma grande atuação garantida, ele se compromete com os seus personagens e sempre deixa uma grande sensação ao espectador. Eu amo os filmes de charlie hunnam O mesmo aconteceu com esta produção, Rei Arthur a Lenda da Espada que estreará em TV para mim é um dos grandes filmes de Hollywood.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que o diretor tenha esse interesse em todos os seus filmes. Os filmes em si não dão medo ou sustos, mas acabam deixando o telespectador incomodado e apreensivo. Além, é claro, da fotografia ser sempre espetacular e macabra!
      Quanto ao Charlie Hunnam, gosto do moço desde Sons of Anarchy. Conheci-o na série e desde então acompanho-o em tudo, hahaha. Ainda não assisti aos filmes que você citou, mas estou bem animada para conferi-los. Parecem ser muito bons!

      Excluir

Sponsor